segunda-feira, agosto 08, 2016

domingo, agosto 07, 2016

TÃO BOM,,,

Tão bom ter alguem por perto
Que nos faça risos
Que nos tire o pranto
Que nos traga vida...

Alguém que nos deixa o doce
Do seu doce encanto.

Belle Neves

segunda-feira, dezembro 29, 2014

EU...


Sou pele desfiada
 quase refeita
 
árvore que desfolha
nuvem que esvai
 
sou fruta devês
que apodrece e cai
 
pedra-ventania
que remove o chão
que brota em pedaços...
 
destilo o amargo
da sétima rima
por não saber ser poesia.
 
Belle Neves


BEIJA-FLOR...

Julho/2012

sexta-feira, setembro 26, 2014

AZUL...

Vestiu-se de branco e calou...
Emudeceu as pretas pedras 
que sufocavam a garganta
dedilhou  páginas de seu passado cinzento
perdeu-se nas verdes horas 
no recanto de si mesmo.
Amarelou... como folhas de outono...
Queria ser o céu... 
mas faltava-lhe o azul

Belle Neves

sábado, setembro 06, 2014

sexta-feira, agosto 15, 2014

TEUS OLHOS...

Cabelos de mar, quase noite
num corpo esculpido de areia
divaga em céu de estilhaços

Petrificado oceano
sereno de vôos lascivos
e sons luminosos de açoite

Vão que de tudo encoberto
desvaira a visão de horizonte 
nas asas de um tempo deserto

Por onde vagueiam teus olhos?

Belle Neves


[Arte de Pedro Rodrigues]

quinta-feira, julho 31, 2014

RAMOS...

Sou tronco, sombra, vertigem
sou terno mar...maternal
marcado
sem sangue, sem sal.

Sou semente selada em estadia
broto da noite pr'o dia
intacta...
até surgirem os homens.

Belle Neves

sexta-feira, dezembro 27, 2013

QUERO...


...quero ser a calma
que contorna os teus pincéis
ser tua tela preferida
tua presença sem partida...
colo que despe,
vestes que incendeiam...
quero ser a paz, sem tremor
ser teu silêncio de amor.

Belle Neves

quinta-feira, dezembro 26, 2013

DOR...

-
Ah, dor que vem chegando...
e queima meus olhos de sal
Arde-me o peito, faz-me danos...
Ah, pára de me fazer mal!

Não descanso, não esqueço...
Não sei o que fazer com essa dor
Penso até que a reconheço
Pois só a encontro onde estou.

Belle Neves

quarta-feira, junho 05, 2013

AMOR...

...Então ele veio!

E me trouxe a beleza
e o doce encanto
da flor.

E me plantou o sol
E se espalhou em mim...
Regou meu coração
Pra me fazer jardim.

Belle Neves

quarta-feira, maio 22, 2013

É...

É triste viver de ilusão
sonhos são eternos desvarios
Do sabor doce na boca
perdura o gosto vazio

O que tenho não é meu
O que sou não mais existe
 Tenho guardado em mim
o direito de ser triste

Sozinho prossigo em meus passos
é triste viver sem certeza...
Disfarço, finjo um sorriso,
pois, triste é morrer de tristeza.

Belle Neves

quarta-feira, março 20, 2013

VOO...

Entre os passos desconexos dos meus pés
ela caminha...
segue em frente
ou às avessas,
arrastada 
como folha morta
que, desprendida de seu núcleo,
cai no espaço,
travessia...
contente,
por ter voado um dia.

Belle Neves

sexta-feira, novembro 30, 2012

VEM...

Vem...
me prende nos olhos!
Me desmancha em tua boca...
 
Belle Neves

quarta-feira, setembro 26, 2012

PAIXÃO...

...é rio que nasce e vira enchente
é luz que relampeja
esquenta, explode...

leve febre de amor...
que enlouquece, que inflama

que cessa os sentidos da existência de outras coisas.

é tatuar na boca a presença do teu nome
é resistir à dor, à febre, à fome...

é entregar-se leso, leigo, louco
aos dias que amanhecem dos teus olhos.

Belle Neves

segunda-feira, agosto 27, 2012

BAILARINA...

Ela descansa flor
de seus passos serpentina
e descortina o tempo
percorrido dos seus pés...

Pés de realeza
que são seus...
que são céus...

Ateus...
de silêncio
e tristeza.

Belle Neves

quinta-feira, julho 19, 2012

MARCAS...

Na permanência do que foi sentido,
Na impressão que não se vê,
Nas linhas soerguidas dos teus dedos...
É lá que encontro você!

Belle Neves

quinta-feira, julho 12, 2012

RETINAS...

Fluídos de afeto
de sentimentos tantos...
A cintilar nos olhos
contidos de encantos.

Belle Neves

sábado, junho 09, 2012

UM MINUTO...

Ajeitar-se na moldura
Resistir à pó e vento
Distrair-se, e com doçura
Abraçar o pensamento

Contemplar um céu florido
Inventar um chão de estrelas
Iluminar os sentidos
Para que se possa vê-las

Soltar as pernas no ar
Na beira dos olhos teus
E quando o sonho passar
Jogar-se nos braços de Deus...

Belle Neves

segunda-feira, maio 07, 2012

sexta-feira, maio 04, 2012

EM QUAL RUA...?


Onde as pálpebras se espremem
Onde a palavra vem turva
Onde cores não sustentam
A visão despercebida

Onde a expressividade
Se recolhe no silêncio
Onde a vida mal colhida
É à mercê da própria vida.

Belle Neves

domingo, abril 29, 2012

sexta-feira, abril 27, 2012

AMANHECIA...



De espera em espera
amanhecia.
Dia após dia o sol chegava.

Chegavam cheiros, sombras, ecos... nostalgia.

Só aqui dentro a luz não alcançava...
Dentro de mim a saudade escurecia...

 Belle Neves

sexta-feira, abril 13, 2012

SINTA-ME...

Tenho os braços tenros recolhidos
E os versos mudos retalhados
Trago no corpo a melodia guarnecida
De silenciosas notas não tocadas...

Sons enraizados nos pêlos
Nos poros, nos passos, nos tempos
E a tristeza, o desmantelo
Fica só no pensamento...

Belle Neves

QUATRO CORDAS...

Não há copla que prenda o tempo
O tempo das quatro cordas
Das quatro íntimas paredes...

Sons germinam do silêncio
Melodiando as flores
das borboletas
com sede...

Belle Neves

sábado, abril 07, 2012

QUERO...

PRENÚNCIO...

A concha anuncia
que o mar vem vindo...

E inundará
de flores
os oratórios
do mundo.

Belle Neves

sábado, março 10, 2012

EFLÚVIOS...

Teu corpo junto ao meu repousa
Na sombra de um silêncio cálido
Tão firme que nem  tempo ousa
Tocar em instante tão ávido

Em sintonia intensa de sentidos
Recolhimento místico e profundo
Se comovemos sóis, permanecidos
Num vai e vem nós movemos o mundo

Em permanente estado de magia
Teu braço em mim é doce acolhimento
Calor que estanca a dor de um lamento

Doce vinho enérgico que inebria
Faz-me sol amanhecer a lua
Faz minh'alma adormecer na tua...

Belle Neves

domingo, março 04, 2012

ENTRELAÇOS...

A vida é um mar de entrelaços
Que tece relações ao passar
O tempo desata esses laços
Por não se saber estreitar

De tanto mar, tanto porto inseguro
Nem cordas, nem toras, não há...
Só os laços de um amor maduro
Resistem ao tempo de amar.

Belle Neves

terça-feira, fevereiro 28, 2012

segunda-feira, fevereiro 27, 2012

CONDIÇÃO...


Gosto das coisas livres
Nuvens, manhãs, levidade
Preso a mim eu nada tive
Trago sonho e liberdade.

Mas se tens um beijo doce,
Olhos firmes, braço atento
(Por um instante que fosse)
Prenda-me no pensamento!

Belle  Neves

quinta-feira, fevereiro 16, 2012

INSTANTES...

Oferece, o frasco,
derradeiro gole
de fragância...
de fervor...

Na constância
da espera
dorme a flor.

Belle Neves

quarta-feira, janeiro 18, 2012

sexta-feira, janeiro 06, 2012

Teu sorriso...

A tua graça inebriante
Vestígio de pura grandeza
O mundo inteiro faz curvar
Pra o teu riso contemplar...

Menino Rei, o que ordenas?
Desenha no muro, com giz
Decreta que a vida é pequena
Mas vale a pena ser feliz!

Belle Neves

sábado, dezembro 24, 2011

EM ALGUM LUGAR...

Em algum lugar
existe

Um vazio
belo e simples

Onde possa caber
passarinhos...

Leves livros, borboletas,
Azul céu, Verde pinho...

Que conste de cores
a vida,

Que conste de luz
o caminho.

Belle Neves

quarta-feira, novembro 23, 2011

CAMINHOS...

Encontravam-se sóis
porém soturnos

Sob um véu de sombras
informe, desmedido

Vaga mente absolvida(os)
Apenados

Caminhavam infaustos,
bem trajados...

Belle Neves

domingo, novembro 20, 2011

ALGO...

Algo traduz-se
Algo apela-se

Neste vão,

em desalinho
Sóis  escondem-se

Caricaturas banais
desprendem lamentos

Entre luas e ventos
O ignoto revela-se.

Belle Neves

terça-feira, outubro 18, 2011

Vida...


Em céu aberto, a embalar manhãs
Ela sorri, vestida de vento...
Tem o coração cor de rosa,
Tem cheiro de rosa flor...
E uma doce ternura que a vida esteia.

Vestida de vento, ela sorri...
Ilumina o céu de todas as manhãs,
Irradia felicidade em seus passos
E a cada passo do vento
Ela sorri...
e chama a vida pra brincar na areia.



sábado, outubro 08, 2011

RETICÊNCIAS...

Soprar no ar as sementes
Soltar os rastros ao vento
E nessa viagem fremente
Voar também pensamento.

 
Inocentar a esperança,
Pulsar estradas, caminhos
Ser manhãs, ser criança
Reinventar passarinhos.

Arrebatar estações
Desprender-se , defrontar
Ir além das ilusões...

Em constância concebida
Dispersar-se pelo ar
Como reticências de vida...


Belle Neves

sexta-feira, abril 01, 2011

Espera...

Se ao teu desalento, me despertas
Como nuvens brancas que desprendem-se do céu
Esquece as horas frias, encobertas
As horas incontáveis num papel

Não me fales do teu passado triste
Não me fales dos sonhos esvaídos
Existe vida neste coração, existe!
E um mundo inteiro a ser sobrevivido.

Anda! O tempo que pensavas findo
Recomeça. Permita-se vivê-lo!
Impeça a razão de não fazê-lo.

Ainda que suponhas estar partindo,
A cor do céu parece distorcida
E nela vê-se a tua sombra refletida.

Belle Neves

sexta-feira, março 25, 2011

Vê...!

Vê...!
Os olhos sentem!
Irradiam os anseios do que há por vir...
Pressentem o apuro...
de não querer sentir.

Vê...!
Os olhos mentem!
Silenciam as retinas diluídas...
Dissimulam, docemente,
a dor que sentem.

Belle Neves

Momento...


É um querer, maior do que vontade
É fome de apertar, mais que desejo
Querer de amor, sufoco de saudade
Prender a tua boca no meu beijo.

A noite lentamente a lua beija
Abraça-a com sua longa veste escura
Estrelas de enfeitar, o céu alveja
Compartilhando da doce ternura

Momento sem prevista duração
Nós dois, em plena chuva, anoitecemos
 Segredos que comandam o coração
Na escuridão nós nos reconhecemos.

Belle Neves

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Às margens do céu...

E tu me acolheste com tua boca doce
com teu canto livre
com esse teu cheiro...

Deixaste-me banhar por entre os teus cabelos,
Ouvir a canção que vem do paraíso...
E em tuas margens, percorrer caminhos
Terno dia branco, luz do meu sorriso.

Quero em tuas nuvens fazer-me teu ninho
E voar na sombra de um passarinho.

Belle Neves

segunda-feira, janeiro 31, 2011

Desencanto 2...

O caminho sempre esteve ali...

As flores já haviam murchado,
As horas...tão inconstantes.
A rua ardia em luzes,
Um livro derrubado da estante...
Não aprendeu a voar...
Não sabe o que é cair...

Só fingia que dormia,
Por não querer existir.

 

Belle Neves

sábado, janeiro 29, 2011

Desencanto...

Quando voltares e me veres em pranto
Com os olhos doídos de tanto te esperar
Embriagada em rever-te, encanto
Apelo a meu recanto pra não mais chorar

Canto o refrão que eu compus nos dias
Banhados de sol, de vento e maresia
Pleno de amor... e por amar-te tanto
Eis meu acalanto, eis minha agonia

E quando eu me der conta da tua partida:
Teclas arrastadas, notas esquecidas...
Recolho os dedos mudos, a alma naufragada
A impressão de que o amor em mim não vale nada.

Belle Neves

sexta-feira, janeiro 21, 2011

domingo, janeiro 09, 2011

Sem palavras...

A dança do amor
não se registra em palavras
Resplandece
no encontro de almas
no bailar de corpos
No caminhar de pernas
envolvidas no êxtase
de um estar dentro do outro.

Belle Neves

sábado, janeiro 08, 2011

Vento

Vento que vem de mansinho
invade minh’alma... carinho
passeia, envolve, me abraça
Descobre minhas vestes, faz graça

Vento que os poros arrepia
me embala, me canta poesia
encanta, assobia, verseja...
Ah vento que tanto peleja

Decerto não sei de onde vens
mas sinto a força que tens
Ah vento sereno, amigo...
me leva que eu vou contigo!
Belle Neves

segunda-feira, janeiro 03, 2011

Leva...

Leva contigo
onde fores,
Além de nuvens
Orvalho que amanhece

Leva contigo
Um céu
Um sonho
Uma prece.

Belle Neves